Inocente após 29 anos

Raymond Towler foi condenado a prisão perpétua em 1981. Seu suposto crime era ter raptado e estuprado uma menina de 12 anos e um garoto de 13. Segundo investigações da época, Towler teria atraído as crianças para a reserva de Rocky River e lá teria cometido o crime. Já na cadeia, o acusado pediu para fazer um teste de DNA comparando o seu com o sêmen encontrado nas roupas de uma das vítimas.

Tendo o apoio de uma ONG que ajuda detentos e de um jornal americano ele acabou realizando o teste. Surpresa ou não, o laboratório confirmou que o sêmen não corresponde com a informação genética de Towler. Talvez esse caso seja um dos vários que nos mostram como a tecnologia pode (e deve) ser usada também para combater crimes. Ainda mais quando se trata do setor relacionado a engenharia genética, que é um dos setores mais promissores em todos os aspectos imagináveis.

A liberação do, agora, ex-detento aconteceu na última quarta-feira, dia 5. O homem havia sido condenado com 24 anos. Durante a estadia na cadeia, Raymond pintou vários quadros e hoje pensa em seguir no ramo artístico.

Por: fskEm: 9 de maio de 2010 | Em Notícias Daih  | Tags:  
Curta no Facebook:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *